chat

Gestação e aborto espontâneo: o que isso tem a ver com tireoide?

Chat realizado com a Dra. Gisah Amaral, médica endocrinologista, em 26/11/2010.

  • 1) Soube que a tireoide pode deixar a mulher estéril, é verdade?
    Caso contrário, por que esse boato é tão divulgado?

    Sim, a mulher com hipotireoidismo tem dificuldade para engravidar.
    Portanto, toda mulher com esterilidade deve ter a função
    tireoidiana avaliada pelo seu médico.

  • 2) Minha mãe e minha avó têm hipotireoidismo, certamente eu terei também?

    O hipotireoidismo é uma doença genética e, por isso, você tem
    chance maior de desenvolvê-lo. Converse com um médico de sua
    confiança e peça que ele avalie a sua tireoide, caso apresente algum sintoma.

  • 3) A criança pode ter alguma "sequela" se a mãe não tratar o
    hipotireoidismo durante a gravidez?

    Quando a mãe não trata o hipotireoidismo durante a gravidez,
    a criança pode apresentar alterações psicomotoras e até déficit
    intelectual. É muito importante tratar essa disfunção adequadamente
    durante a gestação.

  • 4) Como é o tratamento de gestantes com hipertireoidismo?

    Durante a gestação, tratamos o hipotireoidismo com medicamentos que “freiam” a tireoide, ou seja, fazem com que ela produza a quantidade correta do hormônio.

  • 5) O hipotireoidismo pode levar à esterilidade, mas isso não é uma regra, certo? Quando pode acontecer? Com os níveis hormonais normalizados, é possível engravidar normalmente?

    A paciente com hipotireoidismo pode ter alterações dos hormônios, não ovular e ficar estéril, mas isso não é uma regra geral. Quando a disfunção é corrigida, a ovulação ocorre normalmente.

  • 6) Meu bebê pode nascer com essa doença?

    É muito raro a criança nascer com hipotireoidismo, o que chamamos de hipotireoidismo congênito e que não está relacionado ao hipotireoidismo genético, que, em geral, aparece na fase adulta.

  • 7) Quais os principais sintomas do hipotireoidismo?

    Os sintomas são relativos à intensidade da doença. Os mais comuns são: cansaço, desânimo, sonolência, diminuição da memória, inchaço, pele seca, cabelos quebradiços, intestino preso, alterações menstruais, intolerância ao frio, preguiça mental, déficit de atenção, diminuição do apetite, às vezes depressão, entre outros.

  • 8) Mulheres com problema na tireoide podem tomar anticoncepcional?

    Não há nenhuma interação entre o anticoncepcional e o hormônio tireoidiano e, por isso, não há problema em tomar anticoncepcional durante tratamento tanto do hipotireoidismo quanto do hipertireoidismo. Vale lembrar que o hormônio tireoidiano deve ser tomado em jejum, e outros medicamentos, como o anticoncepcional, devem ser tomados pelo menos uma hora depois.

  • 9) Após a tireoidectomia total, a mulher desenvolve com mais frequência a osteoporose na menopausa?

    Não. Após a tireoidectomia total por bócio não maligno mantemos os níveis hormonais normais e, portanto, o risco de osteoporose não aumenta.

  • 10) Minha tireoide vem apresentando alterações nos exames, mas ainda estou dentro da normalidade. Tem algum problema se eu engravidar?

    Se os seus níveis hormonais estão normais, não há problema algum em engravidar. No entanto, se existem alterações discretas, procure um endocrinologista para avaliar seu caso e tratá-la no momento oportuno.

  • 11) Como é feito o exame de TSH?

    O exame do TSH é feito por meio da coleta de sangue pela manhã.

  • 12) Minha avó tem 45 anos e está grávida. Nesse caso, o hipotireoidismo é mais comum por conta da idade?

    Sim, o hipotireoidismo é mais frequente após os 40 anos. Sua avó deve ter a função tireoidiana avaliada no primeiro trimestre de gestação, com certeza.

  • 13) Que exame deve ser feito para saber se tenho hipotireoidismo?

    O exame mais confiável para avaliar a função tireoidiana é o TSH, mas também dosamos o hormônio T4 e T3 total quando precisamos de uma avaliação mais completa. Todos são realizados por meio do exame de sangue.

  • 14) Há queda da libido devido ao hipotireoidismo?

    A libido fica diminuída com o hipotireoidismo, mas, após o tratamento, volta ao normal.

  • 15) Tenho um nódulo na tireoide. Isso pode interferir numa futura gravidez?

    O nódulo da tireoide, em 95% dos casos, não altera a função tireoidiana nem a gestação. É importante fazer a biópsia para esclarecer a natureza deste nódulo, bem como a triagem da função com dosagem de TSH.

  • 16) Em exame recente, foi detectado um cisto e um nódulo sólido de 1 cm na minha glândula tireoide. Vou realizar a punção para saber se ele é benigno ou não. Há risco de a punção não detectar com precisão sua malignidade?

    A chance de a punção não detectar a malignidade é de menos de 2%. Vale lembrar que cistos quase sempre são benignos, e que 95% dos nódulos também são.

  • 17) Quais os sintomas aparentes do hipotireoidismo em uma gestante?

    Os sintomas do hipotireoidismo são inespecíficos. Na intenção de gestação ou na própria gestação é necessário avaliar a função da tireoide com exame de sangue. Nas gestantes, o exame de função tireoidiana deve ser rotineiro, principalmente em gestantes com queixas, histórico familiar ou prévio da doença tireoidiana. Essa é a maneira mais confiável de rastrear uma possível disfunção da tireoide.

Perguntas que não foram respondidas durante o chat

 

  • 1) O hipotireoidismo é hereditário?

    O hipotireoidismo provém de diversas causas, e a mais comum é a tireoidite de hashimoto (90%), que tem caráter hereditário e acomete mais as mulheres.

  • 2) Se o iodo é essencial para a produção dos hormônios tireoidianos, devo ingerir mais sal?

    Não, o nosso sal já é iodado com quantidade suficiente de iodo, e o excesso de iodo pode ser prejudicial à tireoide.

  • 3) Qual a relação do hipotireoidismo com o ganho de peso? Na gravidez isso é notado?

    A participação do hipotireoidismo no ganho de peso é relativamente pequena, ninguém se torna obeso por ter hipotireoidismo. Na gravidez, um aumento do peso além do esperado pode estar relacionado à possibilidade de hipotireoidismo (a paciente passa a ficar mais pesada e inchada). Porém, na gravidez, não se deve ter hipotireoidismo em nenhum período, pois ela é monitorada no pré-natal desde o início.

  • 4) Tenho 35 anos e estou grávida. Tenho mais tendência a ter hipotireoidismo devido à idade? O que devo fazer?

    O hipotireoidismo se torna mais prevalente com o avanço da idade, porém, a predisposição para a doença é necessária. Na gravidez, é obrigatório fazer exames laboratoriais para afastar essa possibilidade de doença e, se necessário, instituir o tratamento.

  • 5) Por que o hipotireoidismo é tão comum entre mulheres?

    Porque existe uma relação entre o estrógeno (que é um hormônio feminino) e a tireoide, bem como com o cromossomo X.

  • 6) Existe algum sintoma que indique que eu tenho hipotireoidismo ou hipertireoidismo durante a gravidez?

    Os sintomas de hipotireoidismo seriam cansaço, preguiça mental, intestino preso, intolerância ao frio, inchaço, ganho de peso além do habitual, pele seca, cabelos quebradiços, sonolência, entre outros. Durante a gravidez, é necessário dosar os hormônios regularmente para que se possa fazer a reposição hormonal imediatamente (quando necessário), para não causar danos irreversíveis ao feto.

  • 7) Já ouvi que para engravidar, o TSH deve estar menor que 2,0. Procede?

    Sim, o controle do nível de TSH é muito importante, bem como dos hormônios tireoidianos. Dessa forma, assegura-se de prover quantidade de hormônio tireoidiano ao feto e evitar dano ao sistema nervoso central.

  • 8) Pode haver atrasos menstruais e a não ovulação devido ao hipotireoidismo, atrapalhando assim uma gravidez?

    Sim. As alterações menstruais e a ovulação são muito comuns no hipotireoidismo não tratado.

  • 9) Já tive problemas de tireoide: começou com hipotireoidismo, virou hipertireoidismo e depois normalizou. Estou tentando engravidar e não consigo. Pode ter alguma ligação?

    Sim. A alternância das doenças referidas pode ter ocorrido por fases de uma determinada doença ou por quantidade irregular de hormônio ingerido. Isso pode interferir na possível fecundação do óvulo, bem como na ovulação.

  • 10) Minha menstruação é muito desregulada. Tomo anticoncepcional e gostaria de saber se isso pode me prejudicar no futuro, caso eu queira engravidar. Meu período só vem quando tomo o remédio; se não tomo, não vem.

    Estudos mostram que não há prejuízo no uso de anticoncepcional para gravidez. Porém, se você tem alterações menstruais na ausência de pílula, isso deve ser analisado pelo ginecologista para avaliar a possibilidade de gravidez futura.

  • 11) O hipotireoidismo pode levar à esterilidade, mas isso não é uma regra, certo? Quando poderá acontecer? E, com os níveis normalizados, poderei engravidar normalmente?

    O hipotireoidismo pode promover alterações no ciclo menstrual e, consequentemente, na ovulação, mas isso não significa esterilidade. Caso a não ovulação tenha sido provocada pelo hipotireoidismo, assim que este for corrigido você terá a sua ovulação corrigida (caso esta tenha sofrido alteração pelo hipotireoidismo).

  • 12) Qual é o problema de ter hipotireoidismo e engravidar?

    Não há problema em ter hipotireoidismo e engravidar. A única e primordial atenção é que a dose do hormônio tireoidiano seja corrigida imediatamente ao se confirmar a gravidez para que o desenvolvimento do sistema nervoso central do feto não seja prejudicado em caráter irreversível.